segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Super CRF 230

Da inusitada mistura de um modelo nacional com um importado surgiu uma moto exclusiva
Redação MotoX.com.br


A moto foi modificada pela Polaco Preparações, especializada em tunagem de motos, principalmente de modelos da categoria nacional como TTR 230, XRE 300, XR 250 Tornado, além é claro da própria CRF 230F. Vira e mexe a oficina apresenta alguma motocicleta cheia de mudanças, modelos que funcionam como vitrine da empresa, como é o caso específico deste, afinal praticamente foram utilizadas duas motocicletas para a concepção de uma única, exclusiva.

A 230cc desta coluna de estréia foi a última criação do preparador Valmir Polaco. No geral, como já dissemos, ela pouco lembra o modelo original. Uma das primeiras modificações foi o novo propulsor. O motor é outro, não tem uma única peça do encontrado na moto de série. Foi utilizado um de RMZ 450cc, com sistema de injeção na alimentação, complementado por um conjunto de escapamento em aço inox, que conta ainda com reservatório de expansão e uma ponteira de escapamento modelo 788 Devil da marca Pro Tork, preparada especialmente para esse projeto.
 

As suspensões são, consideravelmente, o principal destaque desta criação e também vieram de sua fonte inspiradora. Segundo o próprio Polaco, esta foi a parte que mais demorou para se chegar a um acerto perfeito. Entretanto, o resultado ficou fantástico!

Na dianteira foram colocadas bengalas da Showa, com 49mm de diâmetro e 310mm de comprimento. A mesma marca também foi utilizada na parte traseira. O amortecedor, com haste de 18mm, curso de 300mm e reservatório de nitrogênio completa o conjunto dourado. Para aceitar as suspensões, os encaixes do quadro da balança tiveram que ser modificados e também receber reforços para suportar o impacto e o excesso de potência.

Como se pode notar, as modificações não foram poucas e nem baratas, mas elas não pararam por aí. Os sistemas de freio e tração não foram esquecidos. O conjunto de flexíveis aeroquip, com terminais anodizados, complementaram os novos conjuntos de freio. A coroa de alumínio Neyfa ganhou a companhia de uma corrente de transmissão DID Gold.
O visual, não menos importante, pouco lembra a versão vendida nas concessionárias. Apenas as abas do tanque, o próprio tanque, o banco, os number plates laterais e o paralama traseiro são iguais aos do kit original, mas com a cor amarela (originalmente predomina a cor vermelha). Diversas peças ganharam um banho de anodização na cor dourada, que combinam exatamente com os aros de roda Excel, 21 na dianteira e 19 na traseira.

O kit de adesivos feito pela RX Graphics reproduz o visual da RMZ de Ryan Dungey. O banco recebeu uma capa antiderrapante, o guidão é da marca Renthal modelo twin all e os manetes são ARC dobráveis com regulagem rápida na embreagem. Protetores em fibra de carbono completam o visual deixando a CRF muito especial.

No entanto, todas essas mudanças e todo este investimento, não adiantariam se o desempenho não correspondesse. O próprio preparador testou a moto na pista e fez seu relato.

"É inevitável fazermos a comparação com uma CRF 230cc original, porém, não é justo. O peso desta motocicleta em relação à potência é muito diferente de uma motocicleta nacional, são 104 quilos e 58cv, o que equivale a 1,8 kg para cada cavalo."

Os benefícios trazidos pela suspensão são inegáveis, segundo o profissional. "Em saltos, por exemplo, não é necessário ter receio de errar a recepção, pois caso isso aconteça, o impacto é totalmente absorvido pelas bengalas e pelo amortecedor. Essa segurança permite ao piloto ousar muito mais, inclusive arriscando algumas brincadeiras no ar. No chão, o desempenho também chama atenção. Entretanto, nessa situação, senti uma pequena dificuldade em trechos esburacados. Mesmo assim, nada que desabonasse o conjunto, que assim como o motor, é infinitamente melhor que as encontradas nos modelos de fábrica. A ciclística teve que ser alterada completamente, mudando o ângulo do caster e corrigindo o trail até chegar em um centro de gravidade exato, que funciona com precisão principalmente em curvas de baixa."

"Não é exagero dizer que o desempenho dessa CRF 230 está mais próximo de uma moto especial do que propriamente de um modelo original. O desempenho de todo o conjunto é muito superior ao das motos encontradas nas concessionárias. Entretanto, para se conseguir tamanha melhora, foi necessário tempo e, principalmente, investimento", analisou Polaco.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário